Bem-estar

15/10/2021 09h30

A liberdade da Arteterapia

Que tal uma terapia lúdica que pode tratar as mais variadas dificuldades de forma prazerosa?

Por NBE

Freepik/NBE
Arteterapia

CASO 1 

“Fui procurada por um cliente com câncer de laringe e para começar as sessões lhe ofereci revistas para folhear. A imagem de uma pescaria disparou o gatilho para ele começar a contar sobre esse esporte que adorava praticar no passado. Dei argila e ele fez um peixe que ficou modelando por vários encontros com muito envolvimento e silêncio. Colocou um fundo azul com corais que ele tinha guardado da época que fazia mergulho, favorecendo o afeto. Nestes encontros ele pode vivenciar momentos importantes da sua vida de outra maneira, já que não podia mais praticar o esporte que adorava. Ao final do trabalho, falou da importância da atividade que propiciou contato consigo e reflexão sobre sua vida, sua família e o quanto tinha se distanciado dos filhos. Ganhou ânimo e decidiu procurá-los e tentar a reaproximação.”

Esse relato da arteterapeuta Kira Luá Burro nos mostra um pouco da capacidade da Arteterapia em trabalhar questões difíceis de forma indireta e leve por meio de uma terapia não verbal. A Arteterapia promove a espontaneidade, a expressão e a integração do ser, com a profundidade necessária.

“A neurociência ensina que a expressão do ser humano é 65% não verbal e somente 35% é verbal (racionalizado). Portanto podemos compreender o mundo e a nós mesmos através da não verbalização. Os resultados são surpreendentes e, muitas vezes, muito rápidos. Isto na Arteterapia acontece muito”, explica a profissional com especialização em Arteterapia e pós-graduada em Psicologia Positiva, entre outras especializações. 

A Arteterapia vem ao encontro da essência do ser humano:“somos seres criativos, expressivos, comunicativos, sensíveis, emocionais, mentais e espirituais; a Arteterapia trabalha todas essas camadas, que é o que acontece quando lidamos com a arte. Se não desenvolvermos estas áreas na vida, entramos em desequilíbrio. Outro benefício da Arteterapia é que ela é lúdica, traz prazer, relaxamento, bem estar e qualidade de vida”, explica Kira Luá.

 

MUDANÇAS PSÍQUICAS

A expressão através da arte ou símbolos é inerente ao ser humano desde o tempo das cavernas, como vemos pelas pinturas rupestres. Somente no século XIX passou a ser pesquisada e aplicada como uma terapia estruturada. 

A Arteterapia é o uso da arte como recurso e materiais para processo terapêutico, que visa tratar problemas geradores de sofrimento, estimular o crescimento interior e abrir novos horizontes, ampliando a consciência do indivíduo. Utiliza a expressão simbólica com metodologia própria, sem buscar a estética ou exposições de arte. Propicia mudanças psíquicas, reconciliação de conflitos e autoconhecimento.

Para o profissional ser reconhecido como Arteterapeuta é necessário formação com professores arteterapeutas qualificados pela União Brasileira das Associações de Arteterapia (UBAAT), que ministrem os conteúdos necessários de Psicologia e artes, carga horária, estágio e supervisão determinados pela mesma UBAAT. Assim, o profissional estará habilitado para trabalhar com pessoas de todas as idades, indivíduos, casais famílias, grupos e comunidades com as mais variadas demandas.

 

CASO 2

“Uma cliente muito ansiosa e que mal dizia de si mesma gostou demais das formas que criou, considerando-as como espelhos e símbolos de proteção. Estar fazendo um trabalho criativo que pôde significar por si mesma lhe deu força e vitalidade para fortalecer a autoestima. Com as sessões, sua irritação foi diminuindo e pôde reconhecer beleza no que fazia, ganhando um olhar positivo para suas próprias conquistas e características.”

O relato da Arteterapeuta Emília Gontow explicita o quanto essa terapia ajuda no desenvolvimento pessoal e emocional. “As emoções têm uma importância fundamental no desenvolvimento e nas experiências humanas. Um dos grandes benefícios da Arteterapia é manifestar emoções livremente, mesmo as mais difíceis, de forma mais leve e lúdica”, explica Emília, que é formada em Artes Plásticas e foi marchand de galeria de arte por 10 anos. A partir de sua experiência com arte e como tarólogaterapeuta, ela buscou a especialização em Arteterapia pelo INFAPA (Instituto da Família), emPorto Alegre/RS.

“A Arteterapia favorece o contato e a expressão de aspectos dos quais não temos consciência, mas de que necessitamos para transformar a vida para melhor” afirma Emília Gontow, comentando o caso de uma cliente que “só falava em separar-se do companheiro, mas que pôde ver que em todos os desenhos que fazia nas sessões ela se colocava muito junto a ele. Trabalhamos caminhos a partir daí".

Emília Gontow é tarólogaterapeuta e de florais há 26 anos e desde 2012 utiliza a Arteterapia (com recursos das artes visuais) integrada ao Tarô para auxiliar seus clientes.

X