Crescimento pessoal

22/07/2021 08h00

Para honrar a infância

Site compartilha conteúdos para apoiar pais e educadores na conexão das crianças com a natureza, mesmo durante o isolamento domiciliar.

Por Nosso Bem Estar

PVProductions/Frewepik/NBE
Crianc%cc%a7as

Para honrar a infância

O Instituto Alana é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que nasceu com a missão de “honrar a criança”. Desenvolve uma série de programas para promover o direito e o desenvolvimento integral da criança e ​fomentar​ novas formas de bem viver.

Entre os programas está o Lunetas, um portal de jornalismo para famílias e educadores interessados na temática da infância.

Entre as tantas coisas bacanas do Lunetas, estão as dicas de livros para a formação da consciência ambiental na infância  e uma série de conteúdos para apoiar pais, educadores e agentes de saúde na conexão das crianças com a natureza,  mesmo durante o isolamento domiciliar. 

No site é possível encontrar dicas práticas de como famílias e educadores podem aproximar as crianças da natureza*, tais como:

Disponibilize coleção de folhas, sementes e outros objetos naturais ao alcance.

Estimule as crianças a observar aves e insetos pela janela, assim como o céu e o formato das nuvens.

Crie um diário de descobertas, reunindo todos os aprendizados desta observação da natureza ao redor.

Estimule as crianças a plantarem: pode começar com o cultivo de feijão no algodão ou criar terrários com suculentas e pequenos arbustos.

Incentive seus filhos a ajudar a cuidar das plantas da casa, dando água, reformando vasos ou adubando.

Mantenha um diário de registros desses cuidados e descobertas.

Selecione livros que estimulem a curiosidade científica dos pequenos, como guias de observação de estrelas ou identificação de aves, plantas e outros animais.

Use as telas a favor, selecionando vídeos, documentários e animações sobre o mundo natural.

Tempo e espaço: o educador pode usar a observação de mudança de estação, do clima, do tempo de crescimento de uma planta, por exemplo, para registrar e sistematizar esse conhecimento como ferramenta didática.

Origem das coisas e dos alimentos: é possível pensar em atividades que levem em consideração a origem das coisas, de onde vêm os alimentos, de que são feitos os materiais que vemos e usamos.

Mapas mentais para trabalhar sentimento de pertencimento: do que os estudantes sentem falta do lado de fora, quais os percursos que eles conhecem e como se relacionam com os lugares dentro de seus territórios? Isso pode gerar desenhos de mapas mentais interessantes e dar subsídios para pensar a relação dos alunos com seus territórios e culturas.

Arte e natureza: o educador pode estimular os alunos a desenharem o que eles veem da janela de casa, usar materiais reciclados para compor estruturas e refletir sobre reúso de objetos ou indicar livros, poemas e músicas que falem da natureza.

 

*Fonte – Lunetas

X