Crescimento pessoal

20/07/2021 08h00

Amigo é coisa para se guardar

Neste Dia do Amigo, 20 de julho, queremos pensar em como podemos acalentar o outro de forma gentil, gerando mais humanidade. Será que estamos preparados para isso?

Por Cleci Marchioro

AdobeStock/NBE
Amigos

Amigo é coisa para se guardar

Pareceu fácil afirmar que queremos gerar conexão nos nossos relacionamentos e nos comunicarmos de uma forma a atender a nossas necessidades e do outro.

Mas nem sempre é fácil se comunicar de maneira clara. Precisamos perceber as necessidades e sentimentos do outro.

Na Terapia Sistêmica ou no Coach de bem-estar, eu uso ferramentas precisas que dão o “norte” de como nossa emoção pode gerar desbloqueios e provocar um maior fluxo em nossa vida. Isso mesmo, estamos falando em obter maiores recursos da nossa inteligência emocional.

Quem nos ensina esta ferramenta para gerar empatia em quatro partes da Comunicação Não Violenta (CNV) é o psicólogo Marshal Rosenberg. Ele foi buscar em vários ensinamentos da Não Violência: poder Expressar com clareza como me sinto, sem censura, ou críticas e livre de julgamentos.

TREINAMENTO PARA A EMPATIA

Como é possível?

Observação, o que observo - Neste momento eu vou ver, escutar, entender. Um erro comum neste momento é não ouvir e pensar em argumentos para justificar nossa opinião. Observar sem julgar trará um efeito bem diferente sobre a pessoa e na forma que a conversa irá prosseguir.

Sentimentos, o que sinto - Identifique o sentimento e não o julgamento.  Diga estou me sentindo triste ou com raiva ou feliz, pelo que aconteceu!

Necessidades, o que eu preciso ou é importante – Momento para reconhecer suas necessidades e a dos outros.

Pedidos - São as ações concretas que eu gostaria que fossem atendidas: Você estaria disposto a... ?

Através dessa ferramenta, a CNV mostra como expressar sem disfarces quem somos e o que está vivo dentro de nós. Ela se concentra em como as necessidades, nossas e dos outros, podem ser atendidas.

A ação de outro é apenas um estímulo para aquilo que está acontecendo, dentro de mim. Portanto, não é você que me aborrece, irrita, magoa. Estes sentimentos e emoções são meus, portanto, minha responsabilidade.

Perceba que há uma linha tênue entre considerar que o que o outro faz é a causa do que eu sinto e considerar que o que o outro faz é estímulo para acessar o que eu sinto, diz Marshal.

E se as diferenças nos afastam tanto, nos desconectam, quem sabe neste dia possamos usar mais os fatores que nos aproximam?

Observe este quadro:

Diferenças humanas - nos afastam Necessidades - nos aproximam
Raça Amor
Visão de mundo Pertencimento
Religião Apoio
Gênero Sentido
Idade Clareza
Condição física e mental Autonomia
Cultura Humanização
Cor Liberdade

A CNV nos faz olhar para o outro e entender as diferenças como belezas, como misturas novas neste mosaico tão colorido que é a vida. Outro aspecto é cultivar o estado de presença, tão falado no Coach de bem-estar!

A CNV não elimina os conflitos, mas permite a conscientização deles. Esta autodescoberta nos fortalece.

LIÇÕES APRENDIDAS NA PANDEMIA:

Me fortaleço ao acolher o outro, as pessoas e suas histórias.

Posso apoiar fortemente, através de um ombro amigo, só ouvindo empaticamente o outro.

A conscientização de seus pontos fortes, ajuda a organizar a vida das pessoas, os pontos fracos fazem parte dos resultados e podem ser reordenados.

Somos seres espirituais, portanto relacionais. É importante manter um estado de presença potente, mesmo nos atendimentos online.

 

*Cleci Marchioro é facilitadora de Comunicação Não Violenta

 

 

X