Bem-estar

01/06/2021 08h00

A face é o palco das emoções

A ginástica facial promove a harmonização facial e retarda sinais de envelhecimento

Por Denise da Maia

Benzoix/Freepik/NBE
Face 01

A face é o palco das emoções

A Fonoaudiologia estética da face, popularmente conhecida como ginástica facial, promove a harmonização facial através do equilíbrio entre os músculos da face, cabeça e pescoço. Reorganiza as funções de mastigar, respirar e deglutir promovendo saúde geral ao organismo e retardando sinais de envelhecimento como rugas de expressão, flacidez de bochechas, queixo duplo, o temido “bigode chinês”. Além disso, é coadjuvante para os tratamentos de dores faciais por bruxismo, neuralgia do nervo trigêmeo, dores cervicais causadas por contratura muscular estimulada por respiração superficial e superior.

A terapêutica tem como base a motricidade orofacial para a seleção de exercícios funcionais, mímicos e os tipos de manobras utilizadas no atendimento.

A OUTRA FACE

O trabalho na face tem ainda outra “face”.

Ao olharmos no espelho, nosso inconsciente lê em nossos traços os registros emocionais vivenciados ao longo da vida.  E é geralmente disso que não gostamos. Muito mais do que não gostar da ruga, não gostamos do que lemos na ruga a nosso respeito. Tudo isso inconsciente, é claro!

Como diz o especialista português no estudo da expressão facial da emoção, Freitas Magalhães, a face é o palco onde as emoções estão em constante atuação. Por mais que queiramos esconder um sentimento ou a expressão de um pensamento, quase sempre somos traídos por aquele “ar de”. Isso porque parte da inervação da face se dá pelo sistema nervoso autônomo, ou seja, sobre o qual não temos ingerência. É ele que comanda as microexpressões e são elas as responsáveis em demonstrar nossas emoções, antes mesmo que tenhamos tempo de pensar em como disfarçá-las.

CAMINHO INVERSO

O interessante é que, assim como as emoções se abrem na face, é possível fazer o caminho inverso e, através do trabalho muscular da ginástica facial, da manipulação facial nas massagens e de técnicas de visagismo,  mandando assim mensagens mais positivas ao cérebro, refazendo ou modificando a rede neural que contém uma informação não tão gratificante. É uma espécie de reprogramação de crenças sobre si mesmo, principalmente se for associada a alguma técnica coaching e/ou de PNL.

Um trabalho consciente com a face é mais do que estética escravagista dos padrões de beleza da moda. É amor próprio em sua essência libertadora de se reconhecer em sua história pessoal extraindo o melhor do vivido até ali e se permitindo mudar o que já não faz sentido à sua essência         

    *Denise da Maia – especialista em Fonoaudiologia Estética da Face.     

PARA ALÉM DA QUESTÃO ESTÉTICA

Conceitos e exercícios práticos de ginástica facial foram ministrados por Denise da Maia em live promovida pelo Nosso Bem Estar.

A abertura da live Face: Palco das Emoções  contou com a participação da professora de yoga e meditação, Evelise Pisani, que compartilhou a Meditação do Riso, uma prática que ajuda a compreender  facilmente de que forma é possível ativar positivamente o cérebro através de movimentos na face.

A iniciativa dessa live, para além da questão estética, foi motivada pela queixa frequente de pessoas que observam sua expressão facial sendo modificada nesse período pandêmico, seja pelo efeito do uso excessivo das telas de celular e computador, por conta do desânimo e da tristeza com os acontecimentos, da  falta de contato livre com a natureza e com as pessoas que agem como causadores efetivos  da perda de expressão de felicidade .

- O nosso cérebro é congruente, explica Denise da Maia. Ele precisa dos nervos, da pele, das articulações para saber como nós estamos e vai produzir uma química de acordo com o conjunto de nossa postura. O estado pandêmico de uma forma geral e os celulares, que nos mantém com a cabeça abaixada, peito fechado, ombros caídos  e com expressões que não estão promovendo um estado de riso,  mandam para o cérebro vários sinais articulares de que estamos deprimidos.

Como o cérebro é congruente, ele vai atender as necessidades que o corpo pede. Ou seja, vai produzir a química do estado de depressão.

Porém, ao organizarmos a postura, abrirmos os ombros, olharmos na linha do horizonte e acionarmos os músculos do riso (zigomáticos maiores e menores) , nosso cérebro passa a produzir as químicas de felicidade

Associar isso a uma respiração mais ampla e mais leve faz o nosso cérebro compreender que estamos numa situação de proteção, de tranquilidade, vai diminuir a velocidade do pensamento e toda essa química vai mudando e vai mudando o nosso estado de humor.

A live completa bem como exercícios práticos de ginástica facial, estão no canal do YouTube Nosso Bem Estar

 

 

X