Bem-estar

21/05/2021 08h00

Casa limpa, quentinha e aconchegante para receber o inverno

Acompanhe as dicas do Nosso Bem Estar para deixar o seu cantinho ainda mais gostoso e aquecido nesse inverno - sem deixar de lado a higiene e ventilação adequadas.

Por Débora Chiari

Pvproductions/Freepik
Casa

Casa Quentinha

Sabemos que a palavra “lar” carrega muito mais do que argamassa, janelas e portas - é o local que estabelecemos como refúgio, como provedor de aconchego. É nosso espaço de pausa em meio ao ritmo frenético que a vida moderna nos impõe.

E nessa época que o clima frio começa a invadir os dias, nada melhor do que transformar nossa casa num recanto acolhedor, onde pequenos detalhes conferem ao espaço aquela sensação única de conforto e abrigo. Quer descobrir como? Veja logo ali abaixo.

Mas antes vamos refletir um pouco sobre “o lar doce lar”.

Na hora de deixar a casa gostosa e quentinha, lembre-se que o conceito de aconchego muda de pessoa para pessoa. Não é necessário comprar ideias prontas - o que vale mesmo é apostar em itens ou estilo capazes de provocar em você essa sensação especial. Pode ser um sofá cheio de almofadas, um tapete macio e colorido ou mesmo estantes repletas de plantas e objetos com valor emocional. Ocupe sua casa, conecte-se com ela e deixe sua marca pessoal em cada cantinho.

Outro ponto importante diz respeito àquela pressão que muita gente se auto impõem de manter a casa em perfeita arrumação, o tempo todo.

Lembre-se que um lar não precisa ter a aparência de uma foto de revista para transmitir a sensação de acolhimento. Deixe sua própria história impressa nas paredes, permita que ela invada o ambiente em cada detalhe, conferindo ao espaço autenticidade e calor humano. Afinal, um verdadeiro lar deve pulsar como um grande coração, capaz de se transmutar no abraço caloroso que acolhe nossa necessidade infinita de abrigo.

PEQUENOS DETALHES QUE TRANSFORMAM O AMBIENTE

Que tal caprichar nos detalhes que fazem toda a diferença? Para te ajudar a compor um ambiente super aconchegante, com aquele toque especial, listamos algumas sugestões compartilhadas pela arquiteta Luciana Hettwer, da HeArt Arquitetura em Porto Alegre: 

- O uso de cortinas complementa a decoração de uma casa. Modelos com tramas mais fechadas funcionam como uma camada protetora. Para melhor eficiência, mantenha-as abertas durante o dia para a entrada do sol, mas feche assim que começar a escurecer, a fim de manter o calor dentro de casa.

- Se estiver entrando frio pelas portas e janelas, coloque borrachas ou escovinhas adesivas nas frestas para impedir a passagem de vento externo.

- A utilização de tapetes faz mais do que evitar que seus pés toquem um chão frio - eles trazem uma sensação de acolhimento e atuam também como isolantes térmicos. Para aumentar o conforto, invista em modelos mais felpudos.

- Mantas nos sofás são sempre bem-vindas - as de tricô estão super na moda como elementos decorativos e ainda servem como cobertor.

- Uma iluminação adequada também faz grande diferença. A utilização de lâmpadas de cor quente traz uma sensação reconfortante ao ambiente.

- Para os dias mais gelados, é bom ter uma fonte extra de calor, como lareiras e aquecedores.

- O uso de velas aromáticas pela casa aumenta a sensação de acolhimento, ilumina e ainda perfuma o ambiente.

LIMPEZA E VENTILAÇÃO ADEQUADAS NO INVERNO

Os detalhes que vamos inserindo no ambiente são super importantes para conferir beleza, conforto e a sensação de aconchego. Mas não podemos descuidar da higiene e ventilação adequadas - principalmente nesse cenário de pandemia. Afinal, os meses de inverno elevam muito o risco de aglomeração de microrganismos como fungos, vírus e bactérias.

Para garantir aquela sensação de frescor - e diminuir o risco de contaminação - é essencial estabelecer uma rotina frequente de limpeza, mantendo os cômodos bem ventilados. Também vale apostar em produtos de limpeza específicos para combater mofo e bolor causados pelo excesso de umidade (lembrando que já existem diversas opções veganas e cruelty free, mais comprometidas com o meio ambiente).

Outra estratégia imprescindível nesse momento que atravessamos é a criação de uma “área suja”, que deve ficar na entrada da casa, separando, de certo modo, o ambiente externo e interno. Nesse cômodo, é possível colocar um móvel para acomodar os calçados (aqueles usados para sair e os chinelos para dentro de casa), dispenser com álcool gel, ganchos ou cabideiros para casacos, bolsas e máscaras. Quem sabe até uma bancada para apoiar compras que ainda não passaram pela limpeza necessária.

No comecinho da estação fria, vale fazer uma faxina completa na casa, caprichando na higienização de armários e gavetas (lembre-se de reciclar aqueles itens que já não são utilizados). Tire as roupas de inverno e deixe as peças arejando bem antes de guardá-las novamente (verifique se precisam ser lavadas por causa do odor ou possíveis manchas de mofo). Em relação aos calçados, retire todos da sapateira ou das caixas, faça uma boa limpeza e também deixe arejando antes de recolocar no devido lugar.

Limpe bem closets, armários, gavetas e prateleiras com um pano umedecido numa solução feita com 4 colheres de sopa de vinagre e um litro de água. Após a higienização, deixe secar bem e acomode novamente os itens.

Para ajudar a evitar a umidade nesses espaços, vale colocar saquinhos de tule com giz de lousa branco ou mesmo produtos antimofos disponíveis em mercados (prefira os que contém sílica na composição, pois não acumulam água).

Reduza a quantidade de objetos que acumulam poeira (podem ser guardados temporariamente), lave tapetes e cortinas. Não esqueça de revisar encanamentos da casa, além de calhas e telhas que possam estar quebradas, uma vez que esses problemas podem ocasionar acúmulo de umidade no interior da residência.

Nos dias de sol, abra as portas e gavetas - tanto de armários quanto de guarda-roupas - para que o ar circule. Caso necessário, faça uso de um desumidificador elétrico que ajuda a arejar o ambiente (o ar condicionado em casa também auxilia nessa questão). E tente afastar um pouco móveis e sofás próximos ou encostados nas paredes, principalmente em dias de muita umidade, para evitar que ela seja transmitida às peças.

Outras dicas (que também ajudam a evitar crises alérgicas) incluem o uso de pano úmido para limpar móveis e objetos, além do aspirador de pó para o piso (ou mesmo para sofás, cadeiras e cortinas). Sempre que possível, deixe as janelas abertas, faça uso de coifas e exaustores na hora de preparar as refeições e, é claro, troque regularmente roupas de cama, deixando travesseiros, cobertores e edredons ao sol. 

Por fim, mantenha uma rotina de ações assertivas no combate à umidade e fungos: estenda as toalhas de banho e panos de prato utilizados, deixe a porta do banheiro e do box do chuveiro abertas após o banho (além da janela, para secarem rapidamente). Caso o ambiente esteja úmido em excesso, apele para o ventilador, que ajuda a agilizar a circulação de ar.

COMO VENTILAR A CASA DO JEITO CERTO

Ventilação adequada é essencial, principalmente nos meses frios e em meio à pandemia ligada ao coronavírus. Mas como fazer isso sem deixar o ambiente gelado? Vale aproveitar o momento mais quente do dia (entre 10h e 15h) para deixar portas e janelas abertas, por pelo menos quinze minutos.

Depois de garantir a circulação de ar, feche todas as aberturas da casa, mantendo-as sem nenhum obstáculo que impeça a entrada de luz, como persianas ou cortinas. E atenção: se você abrir novamente as janelas depois desse processo, o calor que a casa acumulou aos poucos vai embora.

Já ao final da tarde, faça o inverso: feche persianas e cortinas, de modo a evitar que o calor proveniente da radiação infravermelha acabe se dissipando. O importante é ficar atento ao horário do dia que cada cômodo recebe sol (manhã ou tarde), para coordenar de forma assertiva esse abre e fecha.

Outra alternativa que ajuda a manter a casa ventilada no frio é o revezamento de cômodos. Para isso, libere um dos ambientes, abra as janelas e feche a porta do cômodo. Depois de um tempo, feche as janelas e repita a ação em outro cômodo, seguindo até que todos tenham sido ventilados.

AMPLIANDO A LIMPEZA DOS AMBIENTES COM OXI-SANITIZAÇÃO

A aplicação de gás ozônio nos ambientes é uma das novidades ecológicas que ajudam a combater vírus, bactérias, mofos, fungos, ácaros e outros micro-organismos presentes nos recintos. Por ser um gás, o ozônio se espalha por todo o ambiente onde é aplicado e alcança lugares que uma limpeza convencional não consegue, proporcionando assim uma sanitização real do espaço. A maior vantagem é que o gás vai sanitizando o ambiente inteiro, inclusive dentro de armários. Vale ressaltar que a técnica também é recomendada para automóveis, hotéis, pousadas e ambientes empresariais.

Segundo Caio César Cunha, diretor da J.C. Higienização, a Oxi-Sanitização deve ser feita por agente especializado, peça a peça, sem a presença de humanos ou animais no ambiente. Após a aplicação do ozônio, o ambiente é arejado e, em 20 minutos, retorna à oxigenação natural. O resultado é um ar leve e livre de impurezas.    

*Débora Chiari é Jornalista e Professora.  

 

X