Saúde Integral

10/11/2021 09h26

Muito além de um sorriso perfeito

A Odontologia evoluiu para outras áreas como a respiratória, a digestiva, a estética e a reabilitação de pacientes com doenças crônicas. Conheça aqui algumas dessas novas aplicações.

Por NBE

Divulgação
Sorriso

A ciência que envolve a Odontologia assume cada vez mais áreas. Atualmente está relacionada não apenas ao cuidado dentário, mas evoluiu para as áreas respiratória, digestiva, estética e para a reabilitação de pacientes com doenças crônicas, proporcionando mais saúde e qualidade de vida.


ESTOMATOLOGIA
A cirurgiã-dentista Victoria Trucci é especialista em Endodontia e mestre em Estomatologia. Segundo ela, essa é uma área ainda pouco conhecida, mesmo entre os profissionais da saúde. Trata-se de uma especialidade odontológica que tem muito a ver com a Dermatologia e a Patologia médicas.

“É uma espécie de 'dermatologia oral', onde são observados os tecidos da boca que sofrem alterações em situações como tratamentos oncológicos, doenças autoimunes e é muito importante na detecção de câncer de boca”, explica.

Nestes casos, o tratamento é feito após o diagnóstico da doença, por meio de exames clínicos, de sangue e biópsia. “Durante a pandemia aumentou muito a procura de tratamento por pessoas com quadros de lesões orais decorrentes do sistema imunológico enfraquecido pelo stress”, observa.

TRATAMENTOS ESTÉTICOS
Conforme Victoria Trucci, muitos pacientes protelaram os cuidados preventivos durante a pandemia. 

“Foi algo como: ‘Ah, não está doendo, vou deixar para depois’, mas essa demora também agravou situações infecciosas que poderiam ser evitadas com uma consulta preventiva ao dentista”, salienta.

Por outro lado, ela observa que alguns tratamentos que envolvem a área estética, como a reconstrução dentária, colocação de aparelhos ortodônticos e de implantes tiveram uma procura maior neste período por conta do uso da máscara.

“Conversando com alguns colegas, percebemos que houve um aumento exponencial dos tratamentos estéticos, como aplicação de toxina botulínica (botox) e preenchimento com ácido hialurônico, muito provavelmente porque as pessoas ficaram mais tempo em casa, observando-se no espelho”, revela.


BOTOX
Inicialmente a toxina botulínica ganhou espaço nos consultórios dentários para tratar disfunções como bruxismo e dores na articulação temporomandibular (ATM), avançando agora como tratamento para a harmonização da face.

“Pacientes que têm um bruxismo muito severo, que projetam uma força mandibular muito grande e os que realizaram implantes podem fazer uso da toxina para aliviar a tensão muscular da região, com uso terapêutico. Para fins estéticos, a aplicação é feita após uma conversa, exame clínico e o entendimento das expectativas. Hoje ninguém mais quer ficar velho” brinca a cirurgiã-dentista.


APNEIA COM DISPOSITIVOS ORAIS
Os casos leves a moderados de apneia, - repetidas interrupções da respiração durante o sono, - é possível tratar com placas semelhantes às usadas para o bruxismo.

“Trata-se de um dispositivo que posiciona a mandíbula de forma que o ar possa transitar com mais facilidade na faringe. É indicada para pacientes com mais idade ou que possuem mais flacidez na região do pescoço”, explica a odontóloga. Para indicação da placa são realizados todos os exames clínicos e laboratoriais que apontarão o grau da apneia.

 

PREVENÇÃO É A DICA PARA UM SORRISO SAUDÁVEL
Defensora de uma linha conservadora, Victoria ressalta a importância de visitas periódicas ao dentista.

“Procuro evitar ao máximo que o paciente tenha que extrair um dente e fazer um implante. Mas é fundamental que a cada seis meses sejam feitas revisões. A gente faz tanta coisa ao longo do ano e visitar o dentista muitas vezes ‘passa batido’. É durante uma limpeza, por exemplo, que podemos detectar se a escovação precisa de mais atenção. Fazendo isso, é possível paralisar um processo de cárie sem a necessidade de intervenção”, ensina.
A dentista destaca ainda que muitas vezes a cárie é oculta e só o exame clínico pode identificar.

“Para todas as pessoas que estão há mais de um ano sem ir ao dentista, com receio, a dica principal é que procurem seu profissional de confiança o mais breve possível”.

X