Crescimento pessoal

22/09/2021 10h01

Setembro Dourado quer conscientizar sobre sintomas

Campanha nacional alerta para a importância do diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil

Por NBE

Divulgação
Set dourado imagem detalhe

Liderado pela Confederação Nacional de Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (CONIACC), o Setembro Dourado tem como finalidade informar e conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce da doença por meio da percepção dos principais sinais e sintomas do câncer infantojuvenil. O tema da campanha deste ano é Quem Ama está Sempre Atento.

Ao longo deste mês de setembro, dezenas de ações serão realizadas pela CONIACC para destacar a importância do diagnóstico precoce do câncer infanto-juvenil e disseminar informações ao público em geral e aos agentes de saúde de todos os municípios brasileiros.

 

IDENTIFICAR SINTOMAS

A falta generalizada de informações sobre os sinais e sintomas do câncer infantojuvenil por parte dos pais, escolas, secretarias municipais de saúde e das unidades de atendimento e postos de saúde é um dos principais problemas.

A campanha Setembro Dourado tem a finalidade de informar e conscientizar a população sobre o diagnóstico precoce da doença através dos principais sinais e sintomas do câncer infantojuvenil.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que anualmente surjam cerca de 403 mil novos casos de câncer em crianças e adolescentes, e que a cada três minutos uma criança morre vitimada pela doença.

Crianças com câncer em países de alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) podem ter até 85% de chances de sobrevida. Em países de baixo IDH, as chances caem para 20%. No Brasil, o índice é de 60%. Isso demonstra que o investimento na saúde da população afeta diretamente as chances de sobreviver ao câncer e que campanhas como o Setembro Dourado têm importância fundamental.

O Instituto Nacional de Câncer estima que 12.500 novos casos por ano surgiram no país (biênio 2018-2019). De acordo com as estimativas, anualmente cerca de 3.800 crianças não conseguem sequer chegar ao tratamento.

 

Saiba mais e participe:

Confederação Nacional de Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (CONIACC

X