Bem-estar

04/08/2021 08h00

Pais e filhos, estrelas e estrelinhas

“Um filho é uma estrelinha emprestada por Deus para renovar, em nome da alegria, o brilho das ex-crianças que agora são adultas e chamam-se pais.”

Por Nosso Bem Estar

Frepik.Diller/NBE
Pais

Pais e filhos, estrelas e estrelinhas

    Um choro de criança anuncia nova vida que chega.
    Brotando da natureza humana, ela suscitará novas emoções, alertando aos corações adultos que ainda há sentimento neles.
    Cada criança que nasce é a certeza de que Deus não abandonou seu sonho cósmico de Evolução.
    Cada criança é embaixadora desse sonho e os adultos deveriam saber disso.
    No projeto da criação, o Criador transforma espíritos em bebês e os manda em uma missão vital: enternecer o mundo com sua graça.
    É por isso que, quando uma criança nasce, o próprio Cosmo emociona-se.
    Ele sabe que há um sorriso brotando na Terra.
    E, muito além do entendimento humano, em dimensões invisíveis ao olhar físico, há seres espirituais em comunhão torcendo para que aquela alma reencarnada cumpra seu papel e renove a vida.
    Há crianças, crianças, crianças... Mas, para o Criador elas são todas iguais.
    São estrelinhas divinas, pedacinhos da existência, tentando irradiar luz na carne.
    São os seus filhos, espíritos-estrelas.
    Ele os disfarçou em corpos de bebês, pois sabem que os adultos esquecem fácil da luz.
    Porém, perante aquele ser pequenino, o brilho renasce em seus olhos e o coração acende com novas esperanças.
    A cada dia, novas estrelinhas descem à Terra.
    Primeiro, elas iluminam o útero da mulher, que se torna mais bela do que nunca.
    Em seguida, já disfarçadas de bebês, elas iluminam o olhar de quem as vê.
    A partir daí, elas vão crescendo e iluminam o mundo com suas brincadeiras. Porém, chega um momento em que elas se esquecem da grande estrela que as gerou.
    Elas se tornam adultas e o mundo as entorpece. Passam a se comportar como carne e não como estrelinhas de Deus.
    Esquecem-se da própria natureza estelar e entranham-se firmemente na carne amortecedora.
    Cristalizam o próprio pensamento, estratificam o próprio sentimento e choram, sem perspectiva luminosa.
    É quando o Criador lhes dá uma mãozinha e manda em socorro o brilho de uma estrela, para relembrá-las da alegria e do amor.
    E logo elas “aparecem grávidas”.
    Assim, saberão da verdade que esqueceram:
    “Um filho é uma estrelinha emprestada por Deus para renovar, em nome da alegria, o brilho das ex-crianças que agora são adultas e chamam-se pais.”
    Pais e filhos, estrelas e estrelinhas, pedacinhos de luz a brilhar realizando o grande sonho evolutivo: ser criança-adulto-espírito no coração-estrela de Deus.
 
“QUE TODOS OS PAIS SAIBAM DISSO
E RECUPEREM O PRÓPRIO BRILHO,
AMANDO AS ESTRELINHAS-CRIANÇAS DE DEUS
COMO ESTRELAS SUAS TAMBÉM!”
 
- Mikhael Aïvanhov –
 
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges Texto extraído do livro “Viagem Espiritual I” – Editora Zennez.)

X