Saúde Integral

27/05/2021 08h00

Exercícios para estimular e preservar o cérebro

A ginástica para o cérebro consegue criar uma reserva cognitiva e atua para preservar o cérebro das sequelas da Covid.

Por Nosso Bem Estar

Adobe Stock/NBE
Memo%cc%81ria 2

Exercícios para estimular e preservar o cérebro

Além de vítimas humanas e das consequências econômicas, a Covid-19 deixa um saldo negativo para a cognição de milhões de pessoas que já manifestam, segundo os médicos, sintomas conhecidos como sequelas do pós-COVID-19, especialmente no campo cognitivo.

Inúmeros são os relatos de pessoas que se recuperam da doença, mas se ressentem da capacidade do vírus de afetar regiões importantes do cérebro, como a memória. Através de estímulos que envolvem novidade, variedade e grau de desafio crescente, a ginástica para o cérebro vem colaborando de forma positiva no treino cognitivo de pessoas que foram acometidas pela doença e que relatam esse tipo sequelas.

Segundo a pesquisadora do Grupo de Neurologia Cognitiva e do Comportamento da Faculdade de Medicina da USP, Thaís Bento Lima e Silva, estudos recentes têm constatado mudanças no funcionamento do cérebro em indivíduos acometidos pela doença, tanto nas formas graves quanto moderadas.

Ela detalha algumas: “Dificuldades no desempenho da memória recente; dificuldades no desempenho de atenção e concentração e prejuízos na identificação de aromas e odores, entre outros". De acordo com a pesquisadora, casos graves da doença têm causado problemas motores e até mesmo prejuízos neurológicos, que comprometem a capacidade de gerenciamento e organização da própria vida.

A pesquisas indicam que, em indivíduos com mais de 50 anos, as sequelas da Covid-19 têm sido mais intensas e gerado comprometimento neurológico e das habilidades mentais, podendo ser um fator de risco para o desenvolvimento de demências, como a Doença de Alzheimer.

Diante desse panorama, a comunidade científica tem buscado alternativas para prevenir danos à saúde ocasionados pelo coronavírus, de modo que eles não se tornem permanentes.

PREVENÇÃO
Segundo a doutora Thaís, uma das alternativas de prevenção tem sido a criação ou otimização da reserva cognitiva, fazendo com que as conexões entre os neurônios sejam cada vez mais sólidas. “Aproveita-se assim o potencial de funcionamento do sistema nervoso para gerar ao longo da vida uma reserva de proteção a possíveis danos que possam acometer o cérebro”.

A relevância dessa estimulação cognitiva é reforçada por Luiz Carlos Moraes, diretor executivo da SUPERA - empresa dedicada exclusivamente ao desenvolvimento das capacidades do cérebro e à saúde mental. Ele destaca que, além de criar uma reserva cognitiva, a ginástica para o cérebro consegue colaborar de forma positiva na recuperação de pessoas que foram acometidas pela doença e que relatam sequelas cognitivas".

MEMÓRIA

Os resultados positivos da ginástica cerebral para a estimular e preservar a memória já são amplamente conhecidos e vem conquistando cada vez mais adeptos.  
A aposentada Vera Lúcia Rosa, de 66 anos, é uma das beneficiadas. Ela conta que iniciou as aulas no SUPERA aos 62 anos, quando começou a sentir o impacto dos problemas relacionados à memória. Após três meses realizando a prática, recebeu a primeira avaliação.

“O resultado foi muito significativo e me deu uma felicidade imensa, porque eu já vinha me sentindo mais capaz e percebia as mudanças positivas no meu dia a dia”, relata.  
Vera Lúcia explica que os exercícios (individuais e em grupo) colaboram no desenvolvimento da autoestima e fortalecem aquela “sensação de sentir-se capaz”.  “São fantásticos, fazem você voltar a ter uma vida mais feliz e sociável. É um método muito eficaz e os resultados não demoram a aparecer”. 
A importância da qualidade das relações interpessoais para o bem-estar e saúde do cérebro é destacada pela SUPERA como fundamental para a saúde do cérebro.

Essas relações - que englobam diversidades, redes de apoio e suporte social entre os indivíduos - podem potencializar nossa força e resiliência nos momentos de adversidades, especialmente em momentos que exigem maior enfrentamento dos nossos aspectos emocionais.

Quer praticar ginástica cerebral? – inscreva-se para uma AULA GRATUITA.

X